quarta-feira

Pai da pequena Naielly Gisélia Gonçalves Nunes, DESABAFA a respeito de morte de sua filha no hospital da HAPVIDA.


Meu nome é Jefferson Fonseca Nunes, durante 2 anos e 3 meses fui Pai da pequena Naielly Gisélia Gonçalves Nunes, um bebê saudável, que nunca havia sido internada em um hospital.
Hoje dia 08/05 faz 28 dias que minha filha veio a óbito por negligência médica.


Desde o dia 02/03 eu e a minha esposa Stephany Gonçalves ia com frequência a urgência do hospital da Hapvida de João Pessoa com a minha filha tossindo muito e os médicos sempre diagnosticaram como alergia, a minha filha parou de comer, vomitava e chorava muito e eles continuavam dizendo que era alergia, nós pedimos para que eles fizessem exames e eles diziam que não havia necessidade e não iria expor a nossa filha a radiação por fazer mal, que era apenas alergia, ela começou a apresentar febre muito alta e eles disseram que era virose, passaram remédio e mais uma vez nos mandaram para casa, 4 dias depois dei entrada no hospital novamente e minha filha estava desmaiando nos meus braços, não conseguia respirar e eles colocaram a minha filha na observação, ela fez exames e diagnosticaram que ela estava com um grau muito avançado de pneumonia o pulmão esquerdo dela já estava todo comprometido e havia gerado uma infecção no sangue a SEPSE, o hospital não podia passar antibióticos por demorar muito tempo e o nome da minha filha já não estava mais no sistema do hospital, tivemos que passar na recepção para dar entrada novamente como se a minha filha tivesse entrado naquele momento no Hospital eles ainda manterão minha filha mais de 24 horas na observação.

Quando finalmente foi internada não aparecia nenhum médico no quarto, a minha filha estava desmaiando o tempo todo, eu dizia a enfermeira e ela dizia que eu estava enganado que minha filha só estava cansada.

Depois de mais de 24 horas de internação ela foi para a UTI, teve várias paradas cardio respiratória, os rins pararam, ela fez 5 sessões de hemodiálise, fez cirurgias, e no dia 11/04 ela veio a óbito.
Por uma Pneumonia não diagnosticada por preguiça, incompetência médica de não passarem exames, por acharem que sabiam de tudo.

Agora eu estou sem a razão da minha vida.

Nós começamos a solicitar do hospital o histórico das vezes que a minha filha foi no hospital e eles não nos entregam, procuramos o ministério público para pedir que eles tomassem providência e o hospital só entregou metade da documentação, vai fazer um mês que estou sem minha filha e tudo que eu quero é justiça, mais tenho que esperar o histórico que comprova as entradas dela no hospital e o hospital Hapvida se nega a entregar.

Por favor, nos ajudem a fazer justiça pela minha filha, Compartilhe! HAPVIDA PLANO DE SAÚDE OU HAPMORTE?

EX-FUNCIONARIO MOSTRA INDIGNAÇÃO CONTRA HOSPITAL DA HAPVIDA EM JOÃO PESSOA-PB

EX - FUNCIONÁRIO MOSTRA INDIGNAÇÃO CONTRA HOSPITAL DA HAPVIDA EM JOÃO PESSOA - PB.

                            
             O Sr. Washington Alencar Gomes, brasileiro, casado, condutor, pai de família, mostra sua indignação contra direção do Hospital Geral da Hapvida, diz que; aguarda receber suas conta (DINHEIRO) de sua rescisão contratual desde do ultimo dia 01/06/2017 que estava marcado pra receber seus vencimentos o mesmo tem o papel em mãos que comprova que estava marcado para tal dia, onde a DIREÇÃO e a COORDENAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS, se esquiva não lhe da a mínima informação sobre o restante de seu pagamento, nem tão pouco presta esclarecimento de quando será feito seu pagamento, ou lhe dá detalhes do que foi recebido em sua conta, o mesmo agora espera que a direção venha esclarecer tão somente os seus vencimentos recebido e que ainda tem pra receber, tais como duas ferias que tirou como salário extra em março e a outra em abril, que não recebeu, dia do trabalhador que tem por direito de receber como dia de trabalhado extra, e não recebeu,, folga corem que não vinha recebendo e tem direito, e a documentação para poder receber seu FGTS que é de direito, ou que a justiça seja feita.


                Indignado vem a publico mostra sua indignação contra responsáveis pela coordenação que não presta nenhuma informação a sua pessoa, o mesmo já tentou de todas as formas, ligando, deixando mensagens através aplicativo do WhatsApp porem foi bloqueado, isso é uma falta de respeito para o trabalhador, ao pai de família que tem suas despesas para arca como todo pai de família,  que espera receber seus vencimentos para honra seus compromissos, agora só resta a justiça do trabalho, chamar a ordem, e pleitear que o hospital venha arcar com suas obrigações trabalhista e pagar seus vencimentos.

            

terça-feira

O CASC-PB CONTINUA A CAMPANHA EM BUSCA DE DOAÇÕES DE ALIMENTOS


Ajude-nos com doações de alimentos para os lanches das crianças no PROJETO APRENDENDO A LER PARA CRESCER, ou em espécie para nos ajudar com o pagamento de aluguel, água, luz e etc.. agencia 1635-7 conta corrente 38.504-2 BANCO DO BRASIL S/A, ou ligue (83) 98851-1364 Falar com Washington Alencar Gomes presidente e fundador do projeto.



sábado

O CASC-PB CONTINUA SUA CAMPANHA EM BUSCA DE ALIMENTOS PARA AJUDAR FAMILIAS CADASTRADAS EM SEU BANCO DE DADOS

O CASC-PB BUSCA ARRECADAR ALIMENTOS PARA DOAR AS FAMILIAS CARENTES CADASTRADAS EM SEU BANCO DE DADOS E MANTE SEU PROJETO COM CRIANÇAS CARENTES.

SE VOCÊ DESEJA DOAR ALIMENTOS LIGUE 83 98851-1364 FALAR COM WASHINGTON ALENCAR, SE VOCÊ PREFERI DEPOSITE NA CONTA JURÍDICA DA INSTITUIÇÃO AGENCIA 1635-2 CONTA CORRENTE 38.504-2 BANCO DO BRASIL S/A, SUA AJUDA É MUITO IMPORTANTE PARA NÓS MANTER O PROJETO.

O PROJETO APRENDENDO A LER PARA CRESCER PARTICIPOU DA GRAVAÇÃO COM A TV MANAIRA

CRIANÇAS DO PROJETO APRENDENDO A LER PARA CRESCER PARTICIPARAM DE GRAVAÇÃO COM A TV MANAÍRA, EM BUSCA DE ARRECADAR ALIMENTOS E FUNDOS PARA MNANTER O PROJETO SOCIAL QUE ATENDE FAMILIAS E CRIANÇAS CARENTES.












PARA AJUDAR VOCÊ PODE DOAR LIGANDO PARA 83 98851-1364 FALAR COM WASHINGTON ALENCAR OU VOCÊ PODE DEPOSITAR DIRETO NA CONTA JURÍDICA DA INSTITUIÇÃO AGENCIA 1635-7 CONTA CORRENTE 38.504-2 BANCO DO BRASIL S/A SUA AJUDA E MUITO IMPORTANTE PARA ESTE PROJETO CONTINUAR ATENDER ESTA FAMILIAS.

O CASC-PB DISTRIBUI MILHO VERDE AS FAMILIAS CADASTRADAS EM SEU BANCO DE DADOS.

VOLUNTARIO DO CASC-PB ENTREGANDO MILHO VERDE AS FAMÍLIAS QUE SÃO CADASTRADAS EM SEU BANCO DE DADOS.










quarta-feira

Prefeita do Conde consegue desbloquear contas para conter caos

Salários atrasados de servidores públicos, lixo acumulado em todas as ruas, carros depredados sem motor e sem pneus, prédios públicos abandonados, sumiço de computadores e outros equipamentos, creches com colchões podres infestados de larvas, secretaria sem telhado, aluguéis sem pagamento, água e energia cortados em vários setores, prefeitura sem prédio para funcionar, serviço odontológico sem atender à população por falta de equipamentos, postos do PSF fechados, recolhimento irregular de impostos foram algumas irregularidades administrativas identificadas pela prefeita Márcia Lucena, do Conde, ao assumir na segunda-feira. Nesta terça-feira, ela conseguiu desbloquear as contas da Prefeitura interditadas pelo Tribunal de Contas do Estado.



As múltiplas irregularidades motivaram a decisão do TCE, que recebeu, inclusive, solicitação da própria prefeita antes da posse para que o bloqueio acontecesse. A professora Márcia temia que danos ainda maiores fossem causados pela gestão anterior ao patrimônio municipal. Recursos transferidos ao município estavam sob ameaça de desvios, não havia qualquer indicativo de que seriam aplicados, por exemplo, no pagamento de salários atrasados, o que seria correto. A primeira parcela da verba resultante da Lei de Repatriação não foi destinado a esse pagamento e não se sabe em que foi gasta.

“A situação é indescritível”, disse a prefeita durante entrevista na manhã desta terça-feira (3), informando que “não foi possível fazer a transição por total omissão da gestão anterior. Ela disse também que “imaginávamos que a situação fosse dramática, mas não nessa proporção absurda, em que a população enfrentou dias e dias sem médico por falta absoluta de compromisso com a saúde da população”.

A professora Márcia Lucena acrescentou que “é difícil imaginar que uma Prefeitura tenha rejeitado cumprir integralmente o programa Mais Médicos, mas foi isso o que a gestão anterior fez, simplesmente recusou a contratação pelo Ministério da Saúde dos seis médicos aos quais o Conde tem direito, optando apenas por três, o que significou um corte da metade dos atendimentos que deveriam acontecer em benefício da população”.
Redação com assessoria / 03 de janeiro de 2017
Foto: Assuero Lima

terça-feira

Chapecoense, uma equipe pequena que faria sua primeira final internacional

Clube esteve a ponto de desaparecer três anos atrás por problemas financeiros

 
Uma equipe humilde que, finalmente, vivia seu momento de glória. A Associação Chapecoense de Futebol, cujo time é conhecido como Verdão do Oeste ou Furacão do Oeste, foi fundada em maio de 1973 com a ideia de reviver o futebol na cidade de Chapecó, no oeste catarinense. Seu nome ganhou protagonismo neste ano ao chegar à final da Copa Sul-Americana, após deixar pelo caminho equipes tradicionais, como o Independiente e o San Lorenzo, ambos da Argentina. Nesta quarta-feira, disputaria a primeira partida decisiva contra o Atlético Nacional, de Medellín – uma final que foi suspensa após o acidente de segunda-feira à noite com o avião que transportava o time brasileiro nos arredores da cidade colombiana.


 A história da Chapecoense é de superação. Devido a problemas econômicos, o clube esteve a ponto de desaparecer. Há três anos, quando o atacante Bruno Rangel chegou ao time, não havia nem campo de treino nem academia de ginástica. "O ônibus era muito velhinho, e agora é bom. Muitos jogadores não tinham condições de ir treinar de carro. Iam de ônibus para os treinos. Agora somos mais respeitados e conhecidos", disse Rangel numa entrevista.

O Furacão do Oeste subiu para a primeira divisão do Campeonato Brasileiro em 2014. A crise econômica que quase o fez desaparecer e que o obrigou, para escapar de dívidas, a assumir uma nova identidade jurídica (Associação Chapecoense Kindermann/Mastervet), já havia ficado para trás. Apesar da boa campanha dentro de campo, porém, sua torcida não cresceu. Numa cidade de 200.000 habitantes, seus jogos não atraíam nem 10.000 torcedores. O jogo de volta contra o Nacional, aliás, deveria ser disputado em Curitiba, já que a cidade catarinense não conta com um estádio com as dimensões exigidas pela Conmebol para uma partida desse porte.

Danilo Padilha, o goleiro titular, de 31 anos, um dos jogadores a bordo do avião acidentado, comentava recentemente numa entrevista a trajetória da Chape das categorias inferiores até a disputa de um inédito título continental. "É possível ser campeão. Ninguém acreditava que chegaríamos à final, e chegamos. Tudo pode acontecer."

"No Brasileirão podemos ser no máximo o oitavo colocado, por isso agora estamos concentrados no título (da Sul-Americana), em entender o adversário. Vou me concentrar nisso", havia dito na véspera Caio Júnior, técnico da Chapecoense, time que tem entre seus destaques Cléber Santana, ex-jogador do Atlético de Madri e Mallorca.

O acidente da Chapecoense evoca outras tragédias similares sofridas por equipes de futebol. Em 1949, o avião no qual a equipe italiana do Torino voltava de um jogo em Lisboa caiu, matando 42 pessoas, entre elas quase todo o elenco. Onze anos depois, outro acidente envolveu a aeronave que levava o Manchester United de volta à Inglaterra após um jogo em Munique. Oito jogadores, dois dirigentes e o técnico morreram. Sobreviveram sete atletas, entre eles Bobby Charlton, lenda do United.

FONTE: EL PAÍS

sexta-feira

O CASC-PB REALIZOU A FESTINHA DAS CRIANÇAS NO MES DE OUTUBRO E BENEFICIOU CENTENAS DE CRIANÇAS CARENTES

O CASC-PB REALIZOU A FESTINHA DAS CRIANÇAS NO MES DE OUTUBRO E BENEFICIOU CENTENAS DE CRIANÇAS CARENTES.

COM AJUDA DE AMIGOS E VOLUNTÁRIOS O CASC-PB - CENTRO DE AÇÃO SOCIAL E COMUNITÁRIO ACADEMIA ESPERANÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, REALIZOU A FESTINHA DO DIA DAS CRIANÇAS NA SUA SEDE EM CRUZ DAS ARMAS JOÃO PESSOA-PB, CENTENAS DE CRIANÇAS PARTICIPARAM DA FESTINHA E GANHARAM UM BRINQUEDOS, PARTICIPARAM DE BRINCADEIRAS COM VOLUNTÁRIOS  E FICARAM FELIZES, PELO DIA DE BRINCADEIRAS REALIZADO PELA INSTITUIÇÃO.













SE VOCÊ DESEJA AJUDAR ESTE PROJETO COM QUALQUER VALOR DEPOSITE NA CONTA JURÍDICA DA INSTITUIÇÃO AGENCIA 1635-7 CONTA CORRENTE 38.504-2 BANCO DO BRASIL S/A sua ajuda e muito importante para este projeto continuar.

CRIANÇAS DO PROJETO CASC-PB PARTICIPAM DE GRAVAÇÃO COM A TV CABO BRANCO

CRIANÇAS DO PROJETO CASC-PB - CENTRO DE AÇÃO SOCIAL E COMUNITÁRIO ACADEMIA ESPERANÇA DO ESTADO DA PARAÍBA, PARTICIPAM DA GRAVAÇÃO COM A TV CABO BRANCO, PARA PEDIR DOAÇÕES DE ALIMENTOS PARA AJUDAR NOS LANCHES E AJUDA FINANCEIRA PARA PAGAMENTOS DE DESPESAS, TAIS COMO ÁGUA, LUZ E ALUGUEL, QUEM DESEJAR AJUDAR DEPOSITE NA CONTA JURÍDICA DA INSTITUIÇÃO AGENCIA 1635-7, CONTA CORRENTE 38.504-2 BANCO DO BRASIL S/A SUA AJUDA E MUITO IMPORTANTE PARA CONTINUAR-MOS ESTE PROJETO. ( Destacou o presidente da instituição).